Casos de COVID-19 em Paranapanema, cresce mais de 300% em menos de 30 dias

Preocupante e muito, está a situação crescente dos casos de COVID-19 no município de Paranapanema, e infelizmente ainda existe pessoas que não estão dando conta do risco eminente da saúde local entrar em colapso e consecutivamente, vidas se perderem.

Os números indicam que os casos positivos confirmados, cresceram 316,6% em apenas 27 dias, ou seja, no dia primeiro de junho registramos 6 casos confirmados, e no boletim do dia 28 de junho, já eram 25 casos positivos e confirmados.

Os profissionais de saúde, responsáveis pelo Comitê da COVID-19 de Paranapanema, estão mais que preocupados, estão apavorados com a situação crescente, e principalmente com o que poderá acontecer nos próximos dias, semanas, meses…

As campanhas, os apelos, os cuidados e a dedicação dos profissionais de saúde, autoridades e da iniciativa privada, parecem não surtir efeito diante da indiferença de boa parte da população, que insiste em burlar as orientações dos órgãos de saúde.

Reuniões entre amigos, festas clandestinas ou familiares, permanência nas ruas sem necessidade extrema, encontros marcados pela internet que reúnem dezenas de pessoas e até cultos religiosos, são pontos estratégicos para o aumento de contaminação.

No Hospital de Paranapanema, hoje, tem apenas um respirador que é adequado para casos de COVID, o que quer dizer que se tiver dois casos de síndrome respiratória grave aguda, simultâneos que necessita do aparelho, um caso vai ficar sem atendimento e contara com a sorte de arrumar uma vaga nas unidades de referência que é Avaré ou a UNESP.

Porém, enquanto aguarda o surgimento de uma vaga em UTI, o paciente corre risco de vida.

Fundamental neste momento de crescimento do contagio, é a consciência da população em ficar em casa. É prioridade, mas não prioridade apenas de prevenção, e sim de cuidar de si e de seus familiares.

Se precisar sair, que seja apenas um membro da família, para ir na farmácia, no supermercado, no banco, lotérica ou outros. Que este membro seja pessoa não considerada grupos de risco, como hipertensos e diabéticos, obesos, cardíacos, fumantes, insuficiência renal e respiratória, idosos (com 60 anos ou mais) e baixa imunidade.

Enquanto estiver na rua, evite aglomerações, mantenha o distanciamento social, evite tocar em coisas desnecessárias como corrimão, apoios, portas, balcões entre outros. Use sempre máscara, ao entrar e sair nos estabelecimentos comerciais, use o álcool gel.

Quando chegar em casa retire as roupas e máscara e coloque para lavar, lave as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, se possível higienize seus calçados, sacolas e produtos das compras.

Juntos, Prefeitura Municipal, Secretaria da Saúde e População, podemos vencer esta batalha.