NOTA DE ESCLARECIMENTO DA SECRETARIA DA SAÚDE E VIGILÂNCIA EM SAÚDE (EPIDEMIOLÓGICA E SANITÁRIA)

PARA QUE NÃO HAJA DÚVIDAS QUANTO AOS PROTOCOLOS E PROCEDIMENTOS DETERMINADOS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE, PARA COM A COVID-19, ESCLARECEMOS QUE:

DIANTE CENARIO ATUAL DA PANDEMIA E SUA TRANSMISSÃO COMUNITARIA EVIDENTE EM TODO O PAIS E NÃO DIFERENTE NO MUNICIPIO DE PARANAPANEMA, TODOS OS CASOS QUE EVOLUEM PARA SINDROME RESPIRATORIA AGUDA (DESCONFORTO RESPIRATORIO, OXIGENAÇÃO ABAIXO DE 95% NA OXIMETRIA), NECESSITAM SER INVESTIGADOS COM A COLETA DE EXAME PARA COVID.

ATE QUE O RESULTADO SEJA LIBERADO, O CASO CONTINUA SENDO CONSIDERADO COMO SUSPEITO.

NESSES CASOS O PROTOCOLO DEVE SER SEGUIDO DE ACORDO COM AS RECOMENDAÇÕES E PROTOCOLOS DO MINISTERIO DA SAUDE, O QUAL OS PROFISSIONAIS DE SAUDE DEVEM OBRIGATORIAMENTE SEGUIR PARA EVITAR ERROS QUE LEVEM A UMA MAIOR TRANSMISSÃO E PIORA DA EPIDEMIOLOGIA LOCAL, O QUE COLOCA A VIDA DE OUTRAS PESSOAS EM RISCO.

INFELIZMENTE, NESSAS OCASIÕES NÃO HÁ COMO REALIZAR DIAGNOSTICO SOMENTE PELO EXAME CLINICO, PRINCIPALMENTE NAQUELES QUE POSSUEM OUTRAS DOENÇAS CRONICAS, O QUE OS COLOCAM EM UMA SITUAÇÃO DE MAIOR RISCO DE SEREM ACOMETIDOS PELA COVID 19 E EVOLUIREM PARA UM ESTADO DE MAIOR GRAVIDADE.

SABEMOS QUE ESTATISTICAMENTE A MAIOR PARTE DAS PESSOAS APRESENTARA QUADROS LEVES OU ATE ASSINTOMATICOS, POR ESTE MOTIVO, NÃO HÁ COMO AFIRMAR FRENTE AO CENARIO DE PANDEMIA VIVIDO, QUE UMA PESSOA COM QUADRO RESPIRATORIO AGUDO NÃO TENHA ENTRADO EM CONTATO COM UMA PESSOA PORTADORA DO VIRUS. JÁ QUE O MESMO ESTA CIRCULANDO NA CIDADE, E, PORTANTO, SE FAZ NECESSARIO A INVESTIGAÇÃO LABORATORIAL.

O EXAME DIAGNOSTICO E O RT PCR COLETADO E ENVIADO AO LABORATORIO DE REFERENCIA EM SOROCABA – INSTITUTO ADOLFO LUTZ, RESPONSAVEL PELA ANALISE DO EXAME.

ATE QUE O EXAME SEJA CONCLUIDO, E NÃO HAVENDO DIAGNOSTICO EM TEMPO HABIL, O ATESTADO DE OBITO DEVE CONSTAR A SUSPEITA E NÃO A CONFIRMAÇÃO, O QUE NÃO EXCLUI A NECESSIDADE DE SEGUIR AS RECOMENDAÇÕES DURANTE OS VELORIOS E FUNERAIS.

QUANDO UM PACIENTE EVOLUI A OBITO, OS PROFISSIONAIS DA SAUDE TAMBEM SE COLOCAM NO LUGAR DA FAMILIA E VIVEM UMA SITUAÇÃO EMOCIONAL E CRITICA INTENSA, E MESMO DIANTE DO COMPADECIMENTO A DOR DA FAMILIA, DEVEM EXERCER COM PROFISSIONALISMO SUA ATUAÇÃO SEGUINDO O PROTOCOLO RECOMENDADO.

TAIS SITUAÇÕES TAMBÉM COLOCAM AS EQUIPES DE SAUDE EM UMA SITUAÇÃO DE DOR, A QUAL TEM SOFRIDO ARDUAMENTE DIANTE ESTE CENARIO DE PANDEMIA, TRABALHANDO E ATUANDO INCANSAVELMENTE EM ROTINAS INTENSAS DE TRABALHO.

TODO PROFISSIONAL DE SAUDE QUER A SAUDE DO PROXIMO, E PARA ISSO PASSAM POR LONGAS HORAS DE TRABALHO MUITAS VEZES SE ABDICANDO DE SUA FAMILIA E VIDA PESSOAL.

REFERENCIAS: CIB 75, DE 15/09/2020 E NOTA TECNICA GVIMS/GGT ES/ANVISA Nº 04 DE 2020, PROTOCOLO MINISTERIO DA SAUDE COVID 19.