Projeto Samuzinho certifica 25 alunos da rede municipal

A iniciativa da secretaria de educação em parceria com o SAMU – Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, resultou na certificação de 25 alunos da rede municipal de ensino com idade entre 10 e 11 anos.

A equipe do SAMU ministrou 16 horas de aulas práticas e teóricas para os alunos, onde foram conscientizados do que é o SAMU e todo seu funcionamento, aprenderam os primeiros socorros em diversas situações.

As aula foram realizadas na EMEF José Gonçalves Mendes, o grupo escolar todos os sábados das 8 às 12 hs, sendo que na oportunidade os alunos conheceram ainda a ambulância da SAMU, os equipamentos e o funcionamento detalhado.

Na ocasião da entrega dos certificados os pais orgulhosos participaram da solenidade.

Esta primeira ação qualificativa do SAMU foi para alunos da cidade, porém a próximo já esta agendado para 2019, para alunos de Campos de Holambra.

O que é o SAMU?

Os serviços de atendimento pré-hospitalar móvel, denominados Serviços de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e acionados por telefonia de discagem rápida (número 192), conhecidos como Samu 192, foram normatizados no Brasil a partir de 2004 pelo decreto presidencial nº º 5.055, de 27 de abril de 2004[2]. Caracterizam-se por prestar socorro às pessoas em situações de agravos urgentes, nas cenas em que esses agravos ocorrem, garantindo atendimento precoce, adequado ao ambiente pré-hospitalar e ao acesso ao Sistema de Saúde .

O SAMU 192 não se caracteriza apenas por ser um serviço de atendimento pré-hospitalar móvel mas por ser um serviço complexo, onde uma central de regulação de urgência e emergência composta por médicos reguladores atende toda a demanda do sistema telefônico 192 e define uma hipótese diagnóstica e a complexidade, assim como a prioridade do atendimento, podendo ser fornecida apenas uma orientação médica ou, se necessário, um recurso mais complexo, liberando-se as diferentes viaturas – suporte básico ou suporte avançado.

Após o atendimento do paciente, também será definido o destino do paciente podendo ser uma unidade de pronto atendimento (UPA) ou um hospital terciário. Assim, esse serviço de atendimento móvel foi criado para organizar os diferentes níveis de situações de saúde, encaminhando os quadros de menor complexidade ou fase diagnóstica ou ainda de uma situação de estabilização clínica para UPAs, e os quadros de maior complexidade, que necessitam de especialidades (politraumatizados, infartos, trauma de crânios, acidentes vasculares encefálicos, abdome agudo), para hospitais.

É importante ressaltar que, antes da existência do SAMU 192, muitos pacientes morriam nas residências, nos acidentes de trânsito e em vários locais sem a existência do atendimento pré-hospitalar. Posteriormente, porém, a essa criação, a maioria destes pacientes começou a ter um acesso mais fácil ao serviço de emergência, pois basta uma pessoa ligar para o telefone 192 e, estando dentro dos critérios estabelecidos de urgência e emergência, será atendida em sua residência ou em via pública, sendo, posteriormente, levada aos serviços de melhor atendimento de acordo com sua necessidade e complexidade.