Secretaria da agricultura alerta produtores para a vacinação contra a febre aftosa

A primeira etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa 2018 começou nesta terça-feira (1º/5) no Brasil. Até 31 de maio, deverão ser vacinados 200 milhões de cabeças de bovinos e búfalos, de todas as faixas etárias, de grande parte dos estados brasileiros, além do Distrito Federal. Os rebanhos brasileiros não apresentam a aftosa há mais de uma década. O último foco da doença no país foi registrado no município de Japorã, no Mato Grosso do Sul, em abril de 2006. A Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) vai declarar, oficialmente, o Brasil como país livre da febre aftosa com vacinação em junho.

Após a vacinação de bovinos e bubalinos, o produtor deve fazer a comunicação junto ao escritório do órgão de defesa sanitária do seu município, no caso de Paranapanema é na casa da agricultura. Somente assim, a situação sanitária do rebanho é regularizada. O atraso na comunicação implica na impossibilidade de emissão do Guia de Trânsito Animal (GTA), por um período mínimo de 30 dias.

A Febre Aftosa é uma enfermidade causada por vírus (família Picornaviridae, gênero Aphthovirus). É uma das doenças infecciosas mais contagiosas dos animais e acomete animais biungulados (de casco fendido) como: bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos.
Esta doença pode acometer rapidamente criações inteiras. O vírus se dissipa pelo contato entre animais doentes e susceptíveis, e pode contaminar o solo, água, vestimentas, veículos, aparelhos e instalações. O vento pode transportar o vírus, lembrando que a doença atravessa fronteiras internacionais por meio do transporte de animais infectados e da importação de produtos de origem animal.

Os animais doentes apresentam feridas (bolhas, aftas) na boca, nas tetas e entre as unhas; salivam em excesso (babam), não comem e não bebem; andam com dificuldade (manqueira);
se isolam dos outros animais; apresentam febre alta, podendo ter tremores; em vacas leiteiras pode haver diminuição rápida da produção de leite.

A vacinação contra a Febre Aftosa são realizadas em duas etapas:
– Maio (01 a 31/05): todos os bovinos e bubalinos devem ser vacinados;
– Novembro (01 a 30/11): são vacinados bovinos e bubalinos com até 24 meses.

Os produtores devem declarar a vacinação à Coordenadoria de Defesa Agropecuária, através das seguintes opções: 1) Realizar a declaração diretamente no Sistema informatizado GEDAVE – saiba como declarar; 2) Entregar, em uma das unidades da CDA, a Declaração de Vacinação devidamente preenchida e acompanhada da Nota Fiscal de compra das vacinas.

Para que os animais vacinados sejam realmente protegidos contra a Febre Aftosa, é essencial que as vacinas sejam adquiridas em estabelecimentos cadastrados junto à Coordenadoria de Defesa Agropecuária; as vacinas sejam mantidas refrigeradas (entre 2 e 8 °C) nas revendas, no transporte até a propriedade rural e durante a aplicação; a vacinação seja realizada seguindo as Boas Práticas de Manejo.

A casa da agricultura de Paranapanema presta todo suporte técnico e de orientação ao produtor, lembrando que não importa o tamanho do seu rebanho, mesmo que o produtor tenha uma cabeça ou mil cabeças, tem que vacinar todos.

Lembre-se seu rebanho é seu patrimônio e sua responsabilidade não é apenas com o seu bem é também com a saúde pública.