Secretaria da saúde alerta para os cuidados com a voz

O meio de comunicação mais comum entre os humanos é a voz, e o que muita gente não sabe, é que precisamos ter atenção e cuidados especiais, pois uma simples rouquidão, cansaço ou outras alterações de voz, podem estar escondendo problemas graves.

A voz é produzida em um órgão chamado laringe, no qual encontramos as pregas vocais, mas também depende de outras estruturas como o pulmão, alguns músculos do tórax, outras estruturas da garganta e cavidades do nariz e dos seios da face.

As alterações da voz podem ocorrer em qualquer fase da vida, muitas vezes causando transtornos que afetam diretamente as relações no trabalho ou na escola e na vida familiar e social.

Como a laringe também é um órgão que faz parte do processo da respiração e da deglutição, muitas vezes essas alterações estão também associadas a alterações nesses processos, por exemplo, um inchaço das pregas vocais que prejudica a voz, também poderá comprometer a respiração se for muito intenso.

A alteração mais frequente é a voz rouca. Outras alterações também podem ocorrer como a voz fraca, cansaço para falar, dor para falar, falhas da voz, voz muito fina nos homens ou muito grossa nas mulheres.

Os sintomas tornam-se mais preocupantes quando duram mais de duas semanas ou não melhoram com o tratamento proposto pelo médico clínico que fez o primeiro atendimento, necessitando assim avaliação de um especialista em otorrinolaringologia.

A rouquidão, principalmente, torna-se também mais perigosa quando o paciente é fumante ou faz uso abusivo de álcool, porque isso poderá significar um câncer nas pregas vocais ou em estruturas próximas a elas.

Porém, quando encontrado câncer em estágios iniciais, haverá grandes chances de cura, por isso a necessidade da avaliação especializada. Alterações da voz também são frequentes em pessoas que trabalham com a voz, como professores, cantores e locutores.

“Seja um amigo da sua voz” é o tema que encabeça a campanha desencadeada pela Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia e Sistema de Conselhos de Fonoaudiologia.

A secretaria da saúde alerta toda população para o tema, que não é tão comum ser comentado, porém existe a necessidade da atenção.

A fonoaudióloga Daniella Peres estará promovendo palestras informativas e preventivas nas escolas, destinadas aos professores para que os mesmos possam cuidar da sua voz e ao mesmo tempo estar alertando os alunos sobre o problema.

As palestras estão programadas para acontecer entre o final de abril e o mês de maio em todas as unidades escolares e creches de Paranapanema e Campos de Holambra, lembrando que dia 16 de abril é o dia mundial de cuidados com a voz.