Secretaria do social retoma programa Ação Jovem

Depois de algum tempo paralisado, por iniciativa da secretária do social, o programa Ação Jovem está sendo reativado e vai beneficiar 40 jovens já inscritos e que estão dentro das exigências do programa.

Uma reunião convocada pela secretaria levou os jovens até a Câmara Municipal nesta quinta-feira 6, onde foi abordado temas sobre a reativação do programa, apresentação da nova equipe gestora da secretaria e do CRAS.

Durante o bate papo, foi explanado sobre a importância de cumprir as condicionalidades do programa, foi estabelecido que nas próximas reuniões será trabalhado temas específicos entre outros assuntos pertinentes ao programa.

As reuniões acontecem mensalmente e segundo a secretária do social, no total são 40 jovens inscritos no programa, porém apenas 16 compareceram nesta reunião, lembrando que o jovem que deixar de comparecer nas reuniões, automaticamente perderá o benefício.

Para a próxima reunião, que ainda não tem data definida, o tema trabalhado será sobre “drogas” e contará com a participação de palestrantes.

A reunião foi encerrada com lanche para selar a confraternização.

O Ação Jovem é um programa de transferência de renda do Governo do Estado de São Paulo, que visa estimular a conclusão de escolaridade básica e oferecer ações complementares e de apoio à iniciação profissional.

O objetivo é a inclusão social de jovens em situação de pobreza ou extrema pobreza, promovendo a conclusão da escolaridade básica e o desenvolvimento pessoal mediante a transferência direta de renda com apoio financeiro temporário do Estado.

O jovem para ser inserido neste programa, deve ter no mínimo 15 e no máximo 24 anos e 11 meses de idade, ter ensino fundamental ou médio incompleto, e suas famílias devem ter renda per capita até meio salário mínimo nacional, prioritariamente ¹/4 do salário mínimo.

Para se manter inscrito no programa, o jovem tem que estar regularmente matriculado na educação básica, ensino médio ou EJA, lembrando que a frequência é de no mínimo 75% e é controlada entre educação e social.

O jovem deve também frequentar as atividades socioeducativas disponibilizadas pela equipe técnica do CRAS.